As Anfetaminas Estão de Volta

As anfetaminas estão de volta, mas são heroínas ou vilãs? Maléficas ou benéficas? Adoradas e odiadas pelos dietistas de plantão, são comercialmente conhecidas pelos nomes: “Lipomax AP”, “Inibex S”, “Dualid S”, “Desobesi”, etc. Mal utilizadas, geralmente associadas ao álcool, renomeadas de “rebites” por caminhoneiros e de “bolinhas” por jovens, as anfetaminas marcaram época a partir dos anos 50. 

Em 2011, após seu banimento em vários países europeus e EUA, a droga também foi proibida no Brasil pela ANVISA. Em 2017 foi sancionada a lei Lei nº 13.454/2017 que autorizou a produção, comercialização e consumo desta classe de medicamentos. Fato é que entre idas e vindas, quer para o bem ou para o mal, as anfetaminas estão de volta!

As anfetaminas estão de volta, mas quando elas surgiram?

Terminada a Segunda Guerra, milhões de pessoas se deixaram seduzir pelas promessas de emagrecimento.

Ela surgiu na Alemanha, no final do século XIX. Porém somente 40 anos depois a substância começou a ser utilizada no tratamento de algumas doenças respiratórias e para estimular o sistema nervoso central. Inclusive, durante a segunda guerra mundial, soldados alemães usaram a substância para reforçar a resistência no combate. Sem dúvida esse foi o marco do “boom” das anfetaminas, pois além de deixá-los mais atentos e confiantes, também diminuíram suas sensações de fome e de fadiga.

O primeiro revés veio na Inglaterra, que ainda durante a segunda grande guerra, em 1943, proibiu seus pilotos de se valerem de anfetamínicos, após constatarem sucessivos erros fatais quando sob o efeito destas drogas.

Terminada a Guerra, milhões de pessoas se deixaram seduzir pelas promessas de emagrecimento, energia, ausência de fadiga e mais concentração. Obviamente, essa euforia custou caro e logo seus usuários partiram para o abuso. Assim, praticantes de dietas e exercícios físicos, estudantes, caminhoneiros, trabalhadores noturnos e jovens querendo virar a noite “ligadões” tornaram-se dependentes.

Controle da Comercialização

A venda do Femproporex  com prescrição médica foi livre em muitos países até os anos de 2011 e 2012.

O rígido controle da comercialização começou na década de 1970, quando essas substâncias passaram a ser consideradas drogas psicotrópicas. A explicação é que elas causam um estado de grande excitação e sensação de poder, dependendo da dosagem. Além disso, as anfetaminas podem provocar dependência física e psíquica.
Da mesma forma, seu efeito se reduz rapidamente levando o seu usuário a querer doses cada vez maiores.

A venda do Femproporex  com prescrição médica foi livre em muitos países até os anos de 2011 e 2012. Entretanto, resultados de diferentes estudos começaram a mostrar que a droga pode causar dependência mental e outros efeitos secundários perigosos. Por isso, não deixe de ler esta entrevista com o Dr. Táki Cordás porque é bastante esclarecedora. 

Mas, continuando, nos Estados Unidos o comércio de Femproporex foi proibido nesta época. Um relatório recente do FDA reafirmou que a substância não é aprovada para uso no território americano. Veja a Iniciativa da FDA (em inglês) contra produtos de perda de peso contaminados com vários medicamentos e produtos químicos.  
As anfetaminas foram proibidas no Brasil em 2011 e, assim como a Sibutramina, foram novamente permitidas a partir de 2017. Leia aqui a posição da ANVISA sobre o assunto. 

Supostos Benefícios das Anfetaminas

Benefícios: Emagrecimento, redução do estresse, aumento do metabolismo e mais energia.

As anfetaminas e seus derivados exercem determinadas ações químicas sobre o cérebro que provocam excitação e falta de apetite. As alterações que promovem nos neurotransmissores dopamina e serotonina tornam os indivíduos mais atentos e conferem grande sensação de bem-estar.

Elas emagrecem porque agem diretamente no sistema nervoso central. Mandam uma mensagem para o cérebro dizendo que o organismo já está suprido de todos os nutrientes que precisa. Desta forma, não é liberada a sensação de fome e, sem apetite, a pessoa emagrece rapidamente.

Igualmente, a droga informa ao cérebro que tudo está bem no organismo, mantendo a pessoa sem estresse por não comer.
Principais benefícios dessa droga: Emagrecimento; redução do estresse; aumento do metabolismo e maior energia para realização de atividades físicas.

Efeitos Colaterais

Dentre os efeitos colaterais, tem-se taquicardia, dor de cabeça, tontura, vertigens, tremores e perda de apetite.

Porém, com o tempo, surge a resistência do organismo e a necessidade de aumento das doses. Da mesma forma, aumentam também os efeitos colaterais. No caso das anfetaminas, os efeitos colaterais mais comuns são boca seca, insônia, tremores e irritabilidade.

Os derivados da anfetamina também causam aumento da pressão arterial e aceleração dos batimentos cardíacos. Dentre os efeitos de longo prazo, tem-se a irritabilidade, desidratação, insônia ou sono inconstante, aumento da tensão arterial, taquicardia. E tem mais! Dor de cabeça, tontura, vertigens, tremores e perda de apetite, podendo esta acarretar na anorexia e desnutrição!

O maior perigo do uso de anfetaminas é o apelo da sociedade atual pelo corpo perfeito. Assim, muitos praticantes de dieta, principalmente mulheres, influenciadas pela mídia, acabam ignorando os efeitos colaterais. Por isso, cuidado!

Onde Comprar e Opinião do Conselho Federal de Medicina

Atualmente, anfetaminas como femproporex e anfepramona, por exemplo, podem ser encontradas em farmácias de manipulação, vendidas mediante retenção de receita. Além disso, tanto médico quanto paciente tem que assinar um termo de responsabilidade.

O Conselho Federal de Medicina divulgou nota prestigiando a decisão de liberação do uso das anfetaminas para fins terapêuticos. Este Conselho alega que a ANVISA não pode interferir na decisão do médico de optar por determinada linha de tratamento. Aliás, é competência do médico avaliar corretamente o paciente e suas necessidades. Por isso, médicos comemoram lei que permite a venda de anorexígenos, como defende o CFM.

Eficácia e Uso Correto das Anfetamias

As anfetaminas não têm nenhuma valia se não acompanhadas de um controle nutricional e da prática de atividades físicas.

As anfetaminas não têm nenhuma valia se não acompanhadas de um controle nutricional e da prática de atividades físicas. Então, emagrecer com uma dieta saudável, fazendo exercícios físicos, é a melhor opção. Não deixe de ver também essa lista dos 40 alimentos mais saudáveis do planeta.

É importante ressaltar que o medicamento só age enquanto está sendo ingerido, principalmente porque o seu efeito se esvai rapidamente. Em consequência disso, o mais temido dos efeitos colaterais do tratamento da obesidade pode acontecer: o efeito “rebote” ou “sanfona”. O tratamento pode ser descontinuado sem causar nenhum efeito de abstinência.

Entre os médicos que defendem seu uso correto e acompanhado, muitos destacam sua eficácia, seu efeito estimulante (que ajuda principalmente aqueles que querem começar a praticar atividades físicas), seu efeito não invasivo (como no caso das cirurgias e implantes) e o custo moderado do tratamento. Para a população de baixa renda e para o sistema único de saúde, o custo pode garantir os estoques e a adesão ao tratamento.