Emagrecimento e Autoestima

Emagrecimento e autoestima muitas vezes estão fortemente conectados e além disso, é fácil perceber que emagrecer com saúde traz inúmeros benefícios como, por exemplo, redução do risco de diabetes e diminuição da pressão arterial e níveis de lipídios no sangue.
Várias intervenções para emagrecimento, portanto, concentram-se em estratégias para reduzir o peso e melhorar a saúde fisiológica e o sucesso dessas intervenções é mais baseado na quantidade de peso perdido. No entanto, tanto a obesidade quanto a perda de peso têm consequências psicológicas e, inversamente, problemas psicológicos podem levar ao ganho de peso.

Pessoas obesas sofrem preconceitos porque muitas vezes são injustamente consideradas preguiçosas e/ou desleixadas. Uma consequência da obesidade é associada à baixa autoestima corporal, sintomas depressivos e baixa qualidade de vida. Leia também o artigo sobre a volta das anfetaminas.

Mais melhorias na autoestima são observadas quanto maior for o emagrecimento devido a intervenções comportamentais.

Fatores Psicológicos sobre emagrecimento e autoestima

O emagrecimento pode servir para melhorar esses resultados psicológicos e aumentar as chances de se manter um emagrecimento bem sucedido. Portanto, o conhecimento dos fatores psicológicos da obesidade é importante quando se tenta entender como as pessoas se tornam obesas.

Em alguns estudos que avaliam correlações psicológicas, as melhorias psicológicas não eram o objetivo principal. Entretanto, apesar disso, em uma análise dos resultados psicológicos das intervenções cirúrgicas, farmacológicas e comportamentais para perda de peso, foram notadas melhorias significativas nos sintomas depressivos após intervenções cirúrgicas e farmacológicas.

Melhorias no emagrecimento e autoestima foram mais observadas após intervenções comportamentais do que em outras abordagens. Assim, mais melhorias na autoestima são observadas quanto maior for o emagrecimento devido a intervenções comportamentais.

Mudanças de atitude através de intervenções comportamentais variam na forma em que são feitas.

Intervenções Comportamentais

Mudanças de atitude através de intervenções comportamentais são abordagens comuns para emagrecimento e variam na forma em que são feitas. Tais intervenções tipicamente incluem os seguintes elementos:
1 – Entender e controlar o comportamento alimentar (por exemplo, gatilhos emocionais de comer);
2 – Atitudes para comer;
3 – Boa nutrição;
4 – Busca e utilização de apoio social e
5 – Exercícios físicos.

Fazer exercícios físicos diários é um dos conselhos gerais de estilo de vida.

Manter ma atividade física regular também ajuda no emagrecimento e autoestima, proporciona mais disposição e melhora o humor, como visto neste artigo.

Enfim, tudo isso pode acompanhar uma dieta ou conselhos gerais de estilo de vida como dicas de exercícios físicos diários. Algumas intervenções concentram-se no comportamento alimentar e exploram pensamentos disfuncionais sobre o peso ou a forma do corpo. Os gatilhos do comportamento alimentar são identificados e é feita uma tentativa de alteração desses processos de pensamento para promover uma alimentação saudável por meio do automonitoramento e da reestruturação cognitiva.
Intervenções de perda de peso comportamental e/ou nutricional tem o potencial de reduzir o peso e melhorar os resultados psicológicos.

Referência: Sciencedirect